Extensão de cílios pode colocar a visão em risco

A febre do alongamento de cílios ainda está longe de acabar e vem ganhando adeptas entre aquelas que não resistem às tendências do mercado da beleza.

No Brasil, a técnica tem sido a novidade mais procurada por famosas e anônimas para aumentar o tamanho e volume dos cílios, proporcionando um olhar mais marcante e atraente. O que pouca gente sabe é que, caso não seja feito por um profissional de sua confiança, esse artifício pode causar problemas como alergias devido à presença de formaldeído na composição, irritações e até problemas oculares mais sérios, conforme previne a Academia Americana de Oftalmologia.
Médica referência em Plástica Ocular e Vias Lacrimais do Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB), a Doutora Patrícia Moitinho alerta que, apesar do procedimento ser aparentemente simples, é preciso tomar alguns cuidados com o uso desse tipo de produto. “Se não for feito com materiais apropriados, pode trazer complicações para os olhos. Os novos pelos artificiais são colocados com produto especial, um a um, em cada cílio e retirados posteriormente com removedor. A cola utilizada pode causar irritações se entrar em contato com a pele da pálpebra ou até úlceras na córnea e conjuntivites químicas, caso caia nos olhos”, explica.
Para quem usa lentes de contato a atenção deve ser redobrada. Devido à sensibilidade na córnea ser menor, se houver reações à aplicação dos cílios, os problemas serão percebidos tardiamente. Outro cuidado é na remoção dos cílios. “É importante ter muita cautela para evitar a quebra dos fios naturais. Alguns removedores são irritativos e o ato de retirar os fios artificiais pode levar junto os cílios, provocando uma irregularidade na linha de cílios das pálpebras.
Às vezes, há necessidade do uso de oclusão do olho (tampão) para cicatrização da córnea. Para diminuir os riscos, observe sempre a qualidade e a validade das colas e removedores utilizados e, também, se o profissional é capacitado. Caso sinta desconforto ou tenha inflamações oculares, procure um médico imediatamente”, reforça a oftalmologista.