EXAMES

exames-banner

Equipado com aparelhos de última geração e contando com profissionais de excelência em suas respectivas funções, o HOB oferece todos os exames, diagnósticos e tratamentos de visão disponíveis na atualidade.


Aberrometria no Wavescan
A aberrometria é um exame que estuda os defeitos refracionais do olho e ?aberrações? ópticas que afetam de forma importante à qualidade da visão como ofuscamento, brilho e diminuição da visão noturna. É indicada aos pacientes candidatos à cirurgia refrativa.


Aberrometria Wave Front no (OPD – Scan III)
Mede as imperfeições e distorções dos raios de luz que atingem os nossos olhos explicando e apontando a origem do problema a ser corrigido com mais precisão.


Acuidade Visual com Laser (PAM)
Antecipa ao paciente o nível de expectativa que poderá ter em relação à melhora de visão pós-cirúrgica em casos de catarata.


Angiofluoresceinografia
Analisa as estruturas da retina, coróide (vasos que ficam por baixo da retina) e vasos retinianos, através de fotos tiradas com uma iluminação especial e uso de filtros. Nesse exame utiliza-se um corante especial (fluoresceína) que permite o contraste necessário para o estudo de camadas diferentes das estruturas do fundo do olho que não são possíveis com o exame direto.


Biometria no IOLmaster/ Lenstar
A Biometria por interferometria de coerência óptica (IOL Master/Lenstar), apresenta uma precisão 5 vezes maior que a Biometria Ultrassônica.


Biometria Ultrassônica (de contato ou imersão)
É a medida do comprimento axial, isto é, a distância entre a superfície anterior da córnea e a retina, medida em milímetros. Usado principalmente no pré-operatório da cirurgia de catarata para determinar o grau de lente intra-ocular a ser usada.


Campimetria Computadorizada
Detecta alterações no campo visual, as quais, na maioria das vezes, são imperceptíveis para o paciente e têm aspectos característicos para cada tipo de doença. O exame consiste em se apresentar estímulos luminosos em diferentes regiões do campo de visão para que sejam detectados pelo paciente. É um método que depende fundamentalmente da informação do paciente, através de monitoramento.


Campimetria F.D.T
Com o método F.D.T. usa o estímulo de dupla freqüência. Essa técnica estimula principalmente um grupo de células que são primeiramente afetadas em pessoas com glaucoma, assim podendo detectar os defeitos na percepção visual mais precocemente que no exame de campo visual por outros métodos.


Ceratoscopia Computadorizada, videoceratoscopia ou topografia da córnea
Este exame avalia a curvatura da córnea. O exame consiste na captura da imagem do reflexo de múltiplos anéis concêntricos de luz projetados na superfície da córnea (ceratoscopia). O paciente olha para uma mira central e evita o piscar durante segundos para permitir a captura da imagem. O topógrafo tem um programa que analisa a distância destes anéis de luz refletidos em 34.000 pontos distintos, e traduz esta informação em dioptrias, gerando um mapa colorido. Os dados ficam gravados na unidade e podem ser comparados com exames anteriores e posteriores, gerando mapas diferenciais, permitindo avaliar o efeito de uma cirurgia ou a evolução de uma doença. 


Curva Tensional Diária
Realiza várias medidas da pressão intra-ocular, com intervalos de duas horas. Serve para saber qual é a amplitude, a média e o pico da pressão intra-ocular durante o intevalo medido.


Exame de Motilidade Ocular
Avalia a movimentação oculomotora dos olhos, para avaliar se há estrabismo e avaliar a função da musculatura ocular.


Excimer Laser Visx Star S4 IR
A partir de 2007, o HOB adotou, com pioneirismo, a personalização total das cirurgias refrativas. Este avanço foi possível com a aquisição do Excimer Laser Visx Star S4 IR, capaz de detectar e eliminar imperfeições específicas de cada córnea. O novo exame possível com a implantação do equipamento, expande o perfil dos pacientes aptos, beneficia aqueles que já passaram pela cirurgia refrativa e sentem alguma dificuldade com a visão, bem como pacientes transplantados e operados de catarata que ficaram com algum resíduo.


Fundoscopia
É uma técnica de observação do fundo do olho (retina e outras estruturas internas). É usado um oftalmoscópio para a visualização da retina. O principio óptico consiste na projeção de luz, proveniente do oftalmoscópio, no interior do olho e mediante a reflexão dessa luz na retina é possível observar o fundo do olho.


Fundoscopia Sob Midriase
É um exame realizado para avaliar a estrutura interna do olho e registrar aspectos da retina. O fundo do olho é mais rico e detalhado, pintura ao vivo e em cores da situação das artérias, veias e nervos do corpo humano (Fundoscopia). Existem dois tipos de fundoscopia: a direta, que projetando-se uma luz na retina   obtêm-se    uma    imagem ampliada quinze vezes maior, e a indireta, que proporciona uma imagem com ampliação menor, porém com maior campo visual, evidenciando-se a periferia da retina.


Gonioscopia
Mostra qual o aspecto do ângulo formado entre a córnea e a íris (ângulo da câmara anterior). É importante para definir qual o tipo de glaucoma: ângulo aberto ou fechado, e determinar a estratégia de tratamento.


OPD – Scan III
Técnica mais avançada da atualidade, empregada para diagnosticar a qualidade e mensurar a quantidade de aberrações na visão do paciente antes da cirurgia refrativa ou de catarata.


Mapeamento da Retina
Exame realizado pelo oftalmoscópio indireto com “video mapping”. Permite a análise de todas as estruturas da retina, nervo óptico e vítreo. É possível diagnosticar ou avaliar a evolução de doenças sistêmicas como diabetes e hipertensão arterial. Patologias oculares como descolamento de retina, degenerações retinianas, doenças da mácula, tumores, oclusões vasculares, infecções retinianas e outras podem ser visualizadas por esse exame que é realizado com as pupilas dilatadas com colírios e não requer nenhum preparo especial.


Microscopia Especular de Córnea
Fotografa as células endoteliais, permitindo uma análise quantitativa e qualitativa do tecido que reveste a superfície interna da córnea, auxiliando o oftalmologista em todas as cirurgias que envolvem o ambiente intra-ocular.


Motilidade Ocular
Avaliação dos músculos que controlam a movimentação dos olhos e as alterações sensoriais. Diagnosticar, tratar e acompanhar diversas alterações da musculatura, como o Estrabismo; e alterações na parte sensorial, como a Ambliopia.


OCT 3
Pacientes com alterações da mácula e portadores de glaucoma têm várias razões para ficarem mais seguros com esse exame que mede desde a espessura da retina e mostra a extensão de uma lesão no nervo óptico. Permite uma resolução de até 10 micra, sendo possível a análise precisa da região central da retina.


Paquimetria Ultra-sônica
Apropriado para medir a espessura da córnea e contribuir, assim, na seleção dos candidatos à cirurgia refrativa.

Papilografia
É uma fotografia para avaliar o nervo óptico. Obtêm dados importantes no diagnóstico e evolução do glaucoma e ter uma comparação das áreas afetadas.


Paquimetria Ultrasônica
É um exame que mede a espessura da córnea. É indicado nos casos de suspeita de Glaucoma, edema de córneas, pré e pós operatórios de cirurgias refrativas e de catarata.


Pentacan
Técnica de última geração, empregada para detectar as mal-formações na córnea, íris e cristalino antes do planejamento da cirurgia.


Potencial de Acuidade Visual (PAM)
Exame realizado com o objetivo de medir o potencial de acuidade visual. Integra a fase de diagnóstico, pois avalia previamente a probabilidade de benefício de um procedimento cirúrgico adequado ao caso em estudo. Pacientes portadores de opacidades de meio, ou seja, situadas na córnea ou no cristalino realizam essa verificação com maior freqüência.


Retinografia
Fotografia do fundo do olho por um retinógrafo. Permite a documentação de alterações na retina e no nervo óptico. A documentação fotográfica é importante no acompanhamento de doenças progressivas.


Retinografia Red Free
Fotografia do fundo do olho por um retinógrafo. Permite a documentação de alterações na retina e no nervo óptico na qual se utilizam filtros especiais. Permite avaliar detalhes como pequenas hemorragias e micro vasos retiníanos.


Teste de cores (Teste de Ishihara)
O exame consiste na exibição de uma série de cartões coloridos, cada um contendo vários círculos feitos de cores ligeiramente diferentes das cores daqueles situados nas proximidades. Seguindo o mesmo padrão, alguns círculos estão agrupados no meio do cartão de forma a exibir um número que somente será visível pelas pessoas que possuírem visão normal. Ao todo são exibidas 32 placas para identificação dos algarismos ocultos entre os círculos. Indicado para detecção do daltonismo.


Teste de Sensibilidade/Contraste
Tem a função de medir a visão sob diferentes condições de contraste, a fim de indicar a capacidade do paciente para realizar tarefas específicas como ler, reconhecer pessoas e na orientação e mobilidade.


Teste de Shimer
É um teste para avaliar a produção de lágrima. Uma pequena fita de papel é colocada sob a pálpebra inferior e a quantidade de umedecimento é medida.


Teste ortóptico (TITMUS) ou Teste de Titmus
Teste de Titmus é utilizado para avaliação da visão estereoscópica ou percepção de profundidade – “visão 3D?. Distúrbios da binocularidade estão muito ligados a desvios oculares também chamados de ESTRABISMO.


Teste de Rosa Bengala
Rosa bengala é um corante que é instilado no olho e que permite avaliar o grau de sofrimento das células superficiais da córnea e da conjuntiva pela baixa proteção do filme lacrimal.


Tonometria “non contact”
Conhecido também como tonometria pneumática. É um exame realizado através de um sopro de ar, não havendo, portanto, contato com o instrumento e nem a necessidade de uso de colírios. É utilizado para medir a pressão intra-ocular.


Ultrassonografia Diagnosticada
O exame de ultra-sonografia ocular, apesar de ser muito importante na oftalmologia, ainda é pouco conhecido por outros profissionais da área médica e pelo público leigo. A ultra-sonografia ocular visualiza as partes mais internas do olho simplesmente utilizando uma sonda que é colocada em contato com a pálpebra.


Videoceratografia Computadorizada ou Topografia
Permite avaliar a forma corneana e o seu poder dióptrico e selecionar as patologias que contra-indicam a cirurgia refrativa. Também identifica as causas de baixa acuidade visual não detectáveis por outros métodos.