Atletas Paralímpicos Deficientes Visuais são examinados no HOB

Aferição determina a classe da prova que esportistas participam

IMG_7584

Flávio Sousa Pacheco (Atletismo – Goiás), Juscelino Farias (Atletismo – Distrito Federal), Dr Karla Alexim (Corpo Clínico HOB), Jaciro Antônio Posseti (Atletismo – Distrito Federal), Dra Dilene Brito (CPB) e Dr Arthur Frazão (CPB)

Atletas paralímpicos da natação, atletismo e halterofilismo se reúnem neste final de semana, em Brasília, para participar do Circuito Loterias Caixa – Regional Centro-Leste. Antes de disputarem uma vaga para as etapas nacionais do Circuito, alguns deles passarão por exames no Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB), para confirmar a classe em que competirão: 11 (cegueira total), 12 (resquício visual) ou 13 (baixa visão). “Estamos muito honrados em receber esses atletas aqui no HOB e apoiar o esporte paralímpico brasileiro. Quem sabe não estamos incentivando um novo campeão para 2020, na Rússia”, afirmou dra Karla Alexim, médica do HOB.

Os esportistas foram examinados pelos médicos classificadores do Comitê Paralímpico Brasileiro Dra. Dilene Brito (Natal/RN) e Arthur Frazão de (Recife/PE). Entre eles, Flávio Sousa, Juscelino Farias e Jacirio Posseti, todos do atletismo. “É muito importante poder competir e me sentir útil, provar que sou capaz de realizar feitos”, disse Posseti, que começou a competir em 2007, aos 41 anos. “Comecei a correr em 2001 e ano passado entrei para a equipe paralímpica e hoje estou com todo o apoio correndo já com a elite. O objetivo é conquistar o índice para correr no Mundial de Atletismo Paralímpico de Londres, em julho”, completou Farias. “Esse exame que estamos realizando é importante para definir em qual classe cada um ficará e, assim, permitir um equilíbrio entre os competidores. Que bom que pudemos contar com a estrutura e organização do HOB, em Brasília”, concluiu o Dr Frazão.